Vivendo o Câncer

Além da cirurgia, uma equipe multidisciplinar é fundamental para o sucesso tratamento. Viver essa fase é uma experiência particular e buscar apoio é importantíssimo para aprender com as diferenças e superar essa fase.

Você pode contar com um nutricionista, para ajudar a escolher quais alimentos podem melhorar o seu enjoo durante a quimioterapia. Ou com um psicólogo, que com a terapia busca a compreensão de todo o processo junto contigo. Após a cirurgia, o auxílio do fisioterapeuta, por exemplo, é fundamental para a recuperação dos movimentos do corpo, como os braços e tronco, por exemplo.
Independente do pré ou pós diagnóstico, levar uma vida saúdável é fundamental para manter um estilo de vida adequado. Ao receber o laudo, o apoio emocional e conforto da família são fundamentais para o momento do diagnóstico e tratamento do câncer. Além do conforto do companheiro e dos pais e parentes mais próximos, é importante permitir que os filhos participem de todo o processo.

Todo o processo tanto de aceitação como de suporte para família, sempre vai variar de uma mulher para outra. O ideal é que a mulher tenha sempre uma companhia durante as consultas e procedimentos, em determinados casos isso ajuda muito no fator psicológico, já que o suporte é essencial.

Quando a mulher tem filhos,  é importante que eles entendam de forma clara que é um tratamento necessário. Embora seja uma questão delicada, a criança não pode se sentir excluída ou abandonada. Busque conversar com os pequenos após a sua fase de aceitação já tiver passado, a informação não precisa ser completa e detalhada, porém, pode ser clara e objetiva.
 
Ainda sim, manter um estilo de vida saudável evitando os principais fatores de risco é fundamental para não passar novamente pelo câncer de mama.

Álcool
O Alcoolismo está ligado diretamente ao risco de desenvolver câncer de mama, e claro que esse risco está ligado a quantidade do consumo.

Excesso de Peso
Estar obesa após a menopausa aumenta ainda mais o risco de câncer de mama. Porém, esse risco ainda não é muito claro, já que o peso e o risco serão mais influentes caso a mulher ganhe peso na idade adulta. E não necessariamente para aquelas que sempre estiveram acima do peso.

Filhos
As mulheres que não tiveram filhos, ou que tiveram filhos acima dos 30 anos tem mais risco de ter câncer de mama.

Contraceptivos
Mulheres que usaram pílula anticoncepcional tem mais risco de desenvolver câncer de mama do que as mulheres que não utilizaram. Mesmo com o DIU, alguns estudos já demostram a correlação entre o risco do câncer de mama e o uso do dispositivo.

Reposição Hormonal
A terapia Hormonal Combinada aumenta o risco de câncer de mama. Além disso, outro detalhe que vale atenção é que o diagnóstico pode vir apenas após o estágio da doença já ser avançado. A Terapia de estrogênio não apresenta risco, porém, quando utilizada a longo prazo (mais de 10 anos), estudos mostram um aumento no risco não só de câncer ce mama, como de ovários.
 
« Voltar